Menu

10 de fevereiro de 2013

Leviatã, de Scott Westerfeld

Scott Westerfeld, autor da série Feios, reinventa aqui a Primeira Guerra Mundial em uma narrativa steampunk. Em lados opostos, mekanistas lutam com aparatos mecânicos movidos à vapor e darwinistas usam imensos animais geneticamente modificados, e adaptados para a batalha. Alek Ferdinand, príncipe do império austro-húngaro, está sem saída. Perdeu seu título e o apoio do povo, restando apenas um imenso ciclope Stormwalker e um grupo leal de homens. Por outro lado, Deryn Sharp é uma jovem plebeia que se disfarça de homem para ingressar na Força Aérea Britânica. Os caminhos dela e de Alek se cruzarão de maneira inesperada, levando-os a bordo do Leviatã para uma viagem que mudará suas vidas.


por Renata Aielo, colaboradora.


Senhoras e senhores, apresento-lhes o steampunk!

Para você que não sabe o que é o steampunk, se trata de um gênero fictício que mistura fatos históricos (assim como coisas mais antigas) com tecnologia ou atributos mais modernos. Em Leviatã, temos uma mistura de Primeira Guerra Mundial e tecnologia armamentista e biológica.

O mundo do livro é dividido entre mekanistas (aliados a máquinas) e dawinistas (aliados ao cruzamento de espécies, fazendo de suas bestas suas armas). Bem, se você conhece bem história e a Primeira Guerra Mundial, como ela realmente foi, você vai ser dar bem com esse livro. Senão, bem provável que vá ficar um pouco confuso de início, com todas as alianças entre países e tudo mais. 

A Guerra realmente começa quando o Arquiduque Ferdinando, herdeiro do império Austro-Húngaro e sua mulher são assassinatos em Sarajevo, já como que meio como pretexto pra que a Guerra explodisse. Assim, os países que já tinham suas alianças e suas preferências ideológicas se colocam em linha de batalha.

No meio disso, Alek, filho de Ferdinando, foge de sua casa com medo que ele tenha o mesmo destino que o pai. Alek tem uma história meio trágica: ele não é inteiramente nobre, já que sua mãe não tinha sangue real e, assim sendo, havia certos empecilhos para que ele fosse um herdeiro real. Alek é de um país mekanista e desde pequeno fora treinado para comandar máquinas.

Já no outro lado da história, temos Deryn, uma menina pobre que sempre aprendera com o pai como dirigir balões criados pelos darwinistas, e que, por fim, acaba se passando por uma menino para entrar nas Forças Aéreas Britânicas.    

O livro é lindo! De verdade, a capa, assim também como o mapa que se tem dentro do livro, todos lindos e bem desenhados.

Tenho que dizer que, no início, não achei o livro extremamente empolgante. Ele realmente começa a ficar bom quando segredos vão sendo criados e também ações realmente importantes chegam à tona. Indiscutivelmente, é um livro bom.

 Meu único problema com ele, mas acho que isso é só comigo, são os fatos de mudarem alguns fatos históricos da Primeira Guerra Mundial. Mas como estamos falando de um livro steampunk, acredito que isso é muito mais que aceitável. 

Leviatã é o primeiro livro de uma série que promete muito de Westerfeld! Espero ansiosamente que sua continuação seja lançada no Brasil!

Escolham seu lado ideológico e, se você for um darwinista, mostre como é realmente um inglês e aprecie o livro tomando um chá. Agora, se você for um bom mekanista, aprecie o livro comendo um queijo da sua preferencia! 

Espero que gostem!




15 comentários:

  1. Sou muuito fã de Scott Westerfeld. Adorei a série Feios apesar da personagem chatinha, e estou com Leviatã para ler aqui há algum tempo. Haja criatividade para uma trama dessas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, o cara tem uma criatividade de maluco! hahahaha
      Mas pega pra ler, de verdade! Se você gosta do autor, vai se apaixonar mais (:

      Excluir
  2. Provavelmente essa é a primeira resenha que leio de Leviatã. Apesar de ainda não estar naquela empolgação pra ler, gostei do fato de misturar fatos históricos (já que eu amo estudar História e a Primeira Guerra)... Fiquei com certa curiosidade pra ler. Sua resenha ficou muito bem escrita, Renata. :)
    Aliás, adorei a dica do chá e do queijo. Se for assim, provavelmente ficaria do lado darwinista, porque gosto muito mais de um chá que de queijo. Hahahaha

    Gustavo, sobre seu comentário lá no blog: também estou no segundo ano do Ensino Médio e, assim como você disse, as dúvidas sobre o que fazer são muitas! Estou pensando em Cinema e Audiovisual, mas não sei ao certo. E você? rs

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, eu estou em dúvida em duas coisas completamente diferentes, mas são duas paixões: Jornalismo e medicina. Tenho mais dois anos pra pensar hahahahahaaha
      Beijos.

      Excluir
    2. Leia loooogo, Amanda!
      Tipo, eu também sou completamente louca por História e eu fiquei meio assim por eles terem mudado algumas coisas, mas é steampunk, né? Tem todo o direito (e razão) de mudar!
      Também ficaria com você no lado darwinista da guerra! haha
      E obrigada por elogiar a resenha, fico feliz (:
      Beijocas!

      Excluir
  3. Li esse livro e meu Deus! Bom demais! Não tinha lido nada do Scott ainda e me surpreendi! Adorei a resenha!

    Abraço, Anderson Vidal
    Hooked for Books

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também foi o primeiro livro do Scott que eu li...
      Me surpreendi com a imaginação dele! haha
      Obrigada por gostar! haha
      Beijos (:

      Excluir
  4. Oi Gustavo, obrigada pela visita. Tb estou mto curiosa e ansiosa para ler o livro. Adoro livros policiais.

    Nossa, nunca tinha ouvido falar desse gênero literário mto menos desse livro. Adorei!! Fiquei mto curiosa para lê-lo. Como sinceramente eu não me recordo sobre todos os eventos da 1ª GM, talvez não tenha problemas em ler o livro.

    Valeu pela resenha e pela dica. Bjs, Mi

    www.recantodami.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também estou louco pra ler o livro, Mirelle. A resenha é da Renata, minha colaboradora :D
      Beijos.

      Excluir
  5. Nunca li nada do Scott(não me julgue), não sei se me daria bem com Leviatã. Mas pelo que ouvi parece ser muuito bom mesmo! Parabéns pela resenha (:

    http://paginasnaestante.blogspot.com.br/
    @pginasnaestante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu tenho a série Feios, vale a pena, Alyne! \o/
      Beijos.

      Excluir
  6. Olá Gustavo!
    então, nunca li nada do Scott Westerfeld, a série Feios não me interessou, fiquei empolgada pra conhecer o trabalho dele mais por Leviatã, e, quanto mais leio resenhas sobre o livro, mais aflita (de uma forma boa) eu fico para lê-lo!
    Nunca li nada steampunk, só vi por filmes, mas gosto desse estilo e em livros deve ser excelente também *O*
    ótima resenha, parabéns!!

    abraços!
    Juliana
    http://capespeciais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu estou aqui com Anjo Mecânico, e pretendo ler em breve, Ju.
      Abraços.

      Excluir
  7. Li apenas um livro do Scott e me apaixonei pela a escrita dele. Confesso que a trilogia dele não me atrai - não sei o porquê, mas acho que vi tanta a capa dela que fiquei frustrado. Esse é, infelizmente, um daqueles livros que sempre quando penso em comprar o preço está acima do meu limite, haha. É difícil depender dos pais, mas fazer o quê. Também gosto do contexto Primeira Guerra, e sou fã de livros com diagramação legal!

    Sobre teu comentário no meu blog: tu deves sim ler O Pacto. Tua amiga está coberta de razão, é um livro muito bom!

    Abraços,
    www.garotodoslivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Passando pra dizer que li, amei a resenha! Correndo pra comprar!

    ResponderExcluir